Caf com Negcios

Turismo de eventos precisa de investimentos

A urgência em reformar o Aeroporto de Aracaju e de construir um novo e maior Centro de Convenções para Sergipe foram os dois principais focos de debate dos empresários com o Secretário de Estado do Turismo Elber Batalha e do diretor da Empresa Sergipana de Turismo – Emsetur – José Roberto durante o Café com Negócios desta sexta-feira, realizado no Mercure Hotel pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe.  A participação de parlamentares estaduais e federais fortaleceu o debate e os argumentos para que o Secretário recém empossado possa levar ao governador Marcelo Déda a amplitude de alcance destas duas obras.


Em suas palestras os convidados mostraram o panorama do turismo no estado e a perspectiva do que deve ser realizado no setor nos próximos anos. José Roberto, que em poucos dias deixará a Emsetur fez um balanço e mostrou os números que representam o crescimento do turismo em Sergipe, enquanto Elber Batalha, que acaba de assumir a pasta, mostrou os investimentos que serão feitos em prol do turismo sergipano e falou de seus projetos para expandir a atividade de forma conjugada com os mais variados segmentos produtivos sergipanos que, direta ou indiretamente, estão ligados à atividade turística.


O Secretário de Estado do Turismo ressaltou que entre tantas outras ações que pretende realizar, tem como missão levantar discussões políticas sobre turismo com os prefeitos do interior. “Vejo o debate com o interior de fundamental importância para desenvolver gestões políticas mais voltadas para o turismo, criando pontes que façam com que o turista também conheça nosso interior e gere renda para a população. Queremos difundir o consumo de produtos artesanais sergipanos, como é o caso da renda irlandesa, queijos e doces especiais, enfim. É dessa forma que pretendemos gerar mais renda no setor do turismo em todos os cantos do estado”, demonstra Elber Batalha.


O Secretário informou da participação de Sergipe em um grande evento paulista onde serão  divulgados os festejos juninos sergipanos; destacou a importância da parceria com o Trade Turístico e lembrou a necessidade do setor privado estar engajado e assumir sua responsabilidade diante do desenvolvimento do setor. “O governo tem obrigação de fomentar as linhas de crédito e criar infra estrutura para desenvolver o turismo, mas quem precisa atender bem e oferecer diversidades em seus estabelecimentos é o empresário e seus colaboradores, por isso nossa preocupação com capacitação”, enfatiza. 


Após as palestras dos convidados, o Senador Eduardo Amorim relatou aos empresários a luta dos anestesiologistas do estado há dez anos, para trazer a Sergipe o LX Congresso Brasileiro de Anestesiologia que prevê a vinda de mais de 3,5 mil profissionais da área, além de 200 palestrantes de todo o mundo que participam ministrando a programação técnica do evento.  “Dependemos do aeroporto e de um Centro de Convenções para confirmar o evento de 2013 aqui no estado, do contrário retrocederemos muito e ‘queimaremos nosso filme’ nacionalmente. Sem contar que não conseguiremos este evento novamente nem nos próximos 30 anos”, ressalta Amorim que foi ratificado em sua fala pelo anestesiologista Ronaldo Queiroz Gurgel.


O deputado Laércio Oliveira analisou os lucros e a proporção de divulgação do estado que um evento desta grandeza promove. Ele também falou da necessidade de investimentos em infra, como fator fundamental para que Sergipe desponte ainda mais no setor do turismo nacionalmente.  “O que adiante termos um hotel com as belezas do Dioro Santa Luzia se entre a Ponte Aracaju Barra e o Hotel temos um cenário desanimador. O turista precisa ver beleza desde a saída do aeroporto até o seu destino, seja ele na capital ou no interior. É desta infra estrutura que eu me refiro”, defende.


Após as intervenções e questionamentos dos participantes o Secretário Elber Batalha informou que em 30 dias o governador Marcelo Déda dará uma posição definitiva em relação à reforma do aeroporto e sobre o Centro de Convenções. Batalha reconhece a importância do projeto, e se compromete em fazer o possível para que as obras sejam realizadas e concluídas, no entanto ressalta que depende da liberação de recursos que estão sendo viabilizados para tais fins.


O presidente da ACESE Alexandre Porto avaliou como de extrema importância a discussão gerada durante o Café com Negócios desta manhã. Para Porto, que é empresário do setor de eventos. O investimento no setor do turismo de eventos é o grande propulsor do turismo familiar. E neste momento, a construção do Centro de Convenções é imprescindível para o setor e para o desenvolvimento do estado. “Quem vem a Aracaju para um evento profissional, ou traz a família ou volta em outra ocasião com esposa e filhos. O debate de hoje foi extremamente proveitoso para os associados e tenho certeza que o Secretário levará nosso debate para conhecimento do governador Marcelo Déda, que não tenho dúvida, fará o possível para realização dos projetos”, declara.    


Balanço


No balanço feito pelo atual diretor da EMSETUR José Roberto – que deixará o cargo nos próximos dias – ele falou do trabalho realizado frente à Emsetur nos últimos anos. Segundo ele, 2010 foi um ano fundamental no desenvolvimento do turismo no estado, tendo sido um período de grandes investimentos com recursos do Prodetur. Com base nas informações apresentadas por ele, de 2004 a 2006 o fluxo do turismo cresceu 14% no estado; de 2007 a 2009 esse percentual sobe para 37% e só em 2010 aumentou 10%.


Dados da Emsetur confirmam também que de 2007 a 2010, o turismo foi o terceiro maior gerador de novos empregos no estado, perdendo apenas para a Construção Civil e para o setor público. Neste período foram registrados 5,5 mil novos empregos nesta área.  A elevação no número de embarques e desembarques realizados no aeroporto de Aracaju é outro dado que confirma o crescimento do setor. “Registramos praticamente o dobro do volume de passageiros em relação a 2005. Em 2011, deveremos receber o passageiro de número 1 milhão e nossa previsão é de que até 2013, o aeroporto deva alcançar o teto da sua capacidade operacional”, informa.
 



Comente via Facebook