Notcias

Ministro Ives Gandra realiza palestra para setor produtivo sergipano

Mais uma edição do Almoço com Negócios, promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), em parceria com o Ciclo de Diálogos Empresariais [Fecomércio-SE] foi realizada na sexta-feira (17). Dessa vez, o evento contou com a palestra “As Relações do Trabalho no Brasil do Emprego”, proferida pelo ministro e atual presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra da Silva Martins Filho. O evento reuniu cerca de 180 pessoas, no auditório do Hotel Radisson.

 

Durante o evento, o ministro falou sobre a nova Legislação Trabalhista [Lei 13,567/17] e de como a regulamentação da terceirização influenciam na evolução do quadro profissional brasileiro, promovendo impactos positivos na contratação de trabalhadores em todo o país. Gandra destacou que a Reforma Trabalhista valorizou a potencialidade da negociação coletiva, dando mais poder de decisão para o acordo entre empregados e empregadores. “Sempre defendi que tínhamos que flexibilizar mais a nossa legislação, para proteger melhor o trabalhador, valorizando mais a vontade do trabalhador coletivamente”.

 

Segundo o presidente do TST, o ajuste pode ocorrer com convenções e acordos coletivos que protegem melhor o empregado, do que uma legislação rígida, que muitas vezes não permite, em época de crise, a resolução dos problemas do trabalhador. “A lei agora põe claramente o que se pode negociar e o que não se pode negociar. Não tenho dúvida que as relações de trabalho estão mais seguras, por ter marcos regulatórios claros. Desde que começou a reforma, estamos com os índices de desemprego caindo, a inflação caindo, bolsa subindo. O fato de haver reforma, já mexeu com a economia. Estou otimista”, assegurou. 

 

Para o presidente do Brasil Convention & Visitors Bureau, Márcio Santiago, a Reforma Trabalhista e a regulamentação da terceirização promoveram recuperação de empregos em todo o Brasil. Ele que as expectativas são as melhores para a recuperação do mercado de trabalho no país. “O mercado de trabalho brasileiro estava sofrendo com uma legislação muito defasada. A reforma trabalhista já está trazendo muitos benefícios. A ação da Fecomércio e da Acese, em trazer uma palestra como essa, foi muito importante, pois nos fornece conhecimento para atuar diante do cenário de um país que precisa crescer, voltar a ter uma economia forte e sólida, além de gerar emprego. O setor do turismo tem muito a agradecer ao ministro Ives Gandra pelo seu importante papel e sua contribuição no crescimento do país”, disse.

 

O presidente da Fecomércio-SE, Laércio Oliveira, valorizou a presença de Ives Gandra no evento, lembrando que ele é uma referência internacional no direito trabalhista e um homem que ajudou a formular as melhorias nas relações de trabalho por meio da flexibilização. Ele destacou que a regulamentação da terceirização e a reforma trabalhista colocam o Brasil em condições de competitividade com um melhor mercado de trabalho e mais geração de emprego e renda para a população. “A importância de Ives Gandra Filho para o novo momento das relações de trabalho é muito grande. Sua participação foi fundamental para o novo momento que o Brasil passou a viver".

 

Laércio Oliveira destacou que, "o que o impressiona no Ives Gandra é a consciência de seu papel, enquanto presidente do TST e do momento que o Brasil passou a vivenciar desde a entrada em vigor das novas relações de trabalho no país. Vivemos hoje um momento muito especial. Os números de emprego já estão apresentando sinais de recuperação desde o período da regulamentação da terceirização. Os indicativos são a melhor resposta para aqueles que trabalharam e ainda trabalham contra esse momento novo. Após seis meses da lei em vigor, o resultado está aí. Temos um saldo positivo de emprego no país. Já recolocamos no mercado de trabalho mais de um milhão e meio de brasileiros. Isso precisa ser celebrado. Essa é a melhor resposta para quem criticava essss projetos. Nos próximos meses, os resultados serão ainda melhores. Estamos vivendo no Brasil do emprego, do crescimento econômico. Um Brasil forte, com mais emprego para as pessoas, o Brasil que acolhe seus filhos num ambiente melhor, um ambiente de geração de emprego”.

 

De acordo com o presidente da Acese, Marco Aurélio Pinheiro, a Reforma Trabalhista se faz necessária, pois gera segurança jurídica nas relações de trabalho, tanto para atrair investimentos, quanto para o empregador e o empregado. “Infelizmente, ainda há muita desinformação. Muitas pessoas não buscam se instruir. O Brasil é um ambiente de negócios com muita burocracia, onde as negociações nem sempre eram flexíveis. Isso vai melhorar as relações de trabalho. Fazendo com que haja menos tutela do Estado e mais liberdades em nossas ações. Também gera poder aos sindicatos patronais e laborais para celebrarem suas convenções de acordo com os interesses de ambos. É preciso dar uma conotação maior para isso”, ressaltou.

Publicado em 17/11/2017



Comente via Facebook