Notícias

Revitalização da Acese foi destaque no Jornal da Cidade

 

O projeto de revitalização da Associação Comercial de Sergipe é destaque em matéria do Caderno Morar Bem, do Jornal da Cidade, publicada na última sexta-feira (11).

Confira aqui a matéria na íntegra:

Prédio Histórico da Acese passará por revitalização

 

Um dos mais belos prédios históricos do Centro de Aracaju – e que resiste bravamente à passagem do tempo – será revitalizado. Com a obra, o edifício Manoel Maurício Cardoso, localizado na tradicional Rua José do Prado Franco e conhecido há quase 100 anos como sede da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), ganhará ressignificado. Evidentemente, continuará sendo sede de entidade, mas com ocupação inteligente, ofertará uma gama de serviços como hall cultural, café, entre outros.

Dessa forma,  continuará preservando a história do empresariado sergipano e de uma Aracaju que não mais existe. É o que garante Marco Aurélio Pinheiro, presidente da Acese. “ Por enquanto ainda estamos na fase de projeto, de sonho. Um sonho audacioso desta gestão, mas possível. Que pretende preparar a Associação para o caminho da autossustentabilidade e – Por que não? – para um caminho de maior proximidade da sociedade sergipana”, ressalta Pinheiro.

Segundo ele, algumas pessoas dizem que têm vontade de conhecer o prédio, mas que por vergonha, não o fazem. “Já flagrei estudantes do curso de arquitetura do lado de fora da Acese, admirando a estrutura. Com essa revitalização, mais pessoas terão acesso às belezas que este edifício preserva”, afirma.

Quem assinará a revitalização é a Foco Arquitetura, cujo projeto contempla cujo projeto contempla readequação de layout interno, criação de espaços para exposição de artes, criação de espaço para atendimento ao público, relocação da área administrativa, desenvolvimento de layout mais eficiente; criação de banheiros acessíveis (e na quantidade correta para atendimento ao público), de espaços para entidades e serviços complementares ao empresário e de cafeteria na varanda superior; alocação de plataforma elevatória na parte externa com acesso interno coberto, garantindo total acessibilidade ao edifício, revitalização de estrutura e pintura, Desenvolvimento de iluminação interna para galeria como também iluminação dimensionada e iluminação cênica do edifício.

Uso Sustentável

O arquiteto Lucas Lima explica que a Foco foi responsável por pensar um modelo de negócio e um projeto de arquitetura factível e que pudesse trazer à Associação Comercial um uso inteligente e sustentável do espaço. Dentro desse aspecto,  de acordo com ele,  encontram-se opções e oportunidades de trazer algo mais forte para a sociedade, transmitindo o passado, inspirando o futuro e agregando valor para os empresários e a sociedade através de serviços necessários.

“Algumas referências nacionais e internacionais serviram de inspiração para que o projeto ganhasse corpo. A maior delas foi o Palácio Anchieta, localizado na cidade de Vitória, no estado do Espírito Santo, que possui um belo acervo histórico de obras de arte e mobiliário. Obras de arte de todo o mundo passam por ele, com exposições itinerantes, o que o leva a ser visitado por muitas pessoas. Esse é um dos eixos do projeto da Associação Comercial: aproximar  a sociedade da cultura sergipana, da história e dos grandes nomes do nosso estado”, esclarece Lucas Lima.

Hugo Lobão, também arquiteto da Foco, defende que o objetivo do projeto foi manter os elementos artísticos do prédio de estilo eclético. “Fizemos questão de manter o original do prédio, inserindo somente elementos no interior. Esperamos com isso, guardar não apenas a história do edifício, mas da sociedade. E nesse caso bem específico, dos empresários de Sergipe também”, diz.

Reforma

Embora mantenha toda sua estrutura externa original, o prédio passou por uma única reforma, ocorrida na gestão de Manoel do Prado Vasconcelos Filho. O empresário Walker Carvalho, que atuou como um dos vice-presidentes dessa gestão, diz que a obra, que durou quase três anos teve a grande preocupação de não provocar modificações ao prédio. “Nós fizemos tudo com o maior cuidado por causa dos elementos históricos. À época nos preocupamos apenas em fazer melhorias de manutenção mesmo”, explana e acrescenta “me sinto muito feliz em saber que a Associação Comercial, casa centenária e casa do empresariado irá se aproximar ainda mais do empresário e da sociedade sergipana. O Marco Pinheiro está sendo um gestor espetacular. Estou muito feliz em escutar o sonho dele e ver essa vontade de fazer as coisas acontecerem”.

A arquiteta Renata Dantas Rosário, presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil em Sergipe (IAB-SE), considera que a futura obra é garantia da preservação da história de uma entidade e do Centro de Aracaju.  Para ela, revitalizar um prédio antigo é guardar a história da cidade. “A gente vê tantos  prédios históricos e lindos, principalmente aqui no Centro, em situação de abandono total,  fora os que foram destruídos nos últimos anos. Então, ver um prédio quase centenário como este da Acese, que mantém vários elementos originais, em fase de trâmite de revitalização, nos enche de esperança – e acho que posso falar por outros arquitetos”, acredita.

História

Na década de 1920, o então presidente da Associação Comercial, Manuel Maurício Cardoso decidiu construir uma sede para a entidade.  Sem recursos, ele fez um apelo ao então deputado federal Maurício Graccho Cardoso, que contribuiu financeiramente e com a doação do terreno. O projeto de elaboração do prédio ficou a cargo do engenheiro Arthur de Araújo e do artista italiano Belando Bellandi. A obra, iniciada em 1923, foi inaugurada no dia 13 de agosto de 1926, em solenidade histórica, que contou com a presença do Presidente da República, Dr. Washington Luís.

 

 

 

 

Publicado em 14/05/2018



Comente via Facebook