Notícias

“Derrubar a economia é fácil, mas recuperá-la requer tempo”, diz economista em reunião-almoço da Acese

Grande público prestigiou o Almoço com Negócios

Imaginação, produtividade, perspectiva. Para Edgar de Abreu Cardoso, economista-chefe da Brasilprev, essa é a receita que os empresários brasileiros devem seguir nos próximos anos. “Se fizer isso, cresce”, simplifica Edgar.

 

Ele foi o palestrante convidado da última edição do Almoço com Negócios da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe – Acese – deste ano, que ocorreu nesta terça-feira, dia 20, no Rádisson Hotel, e abordou o tema “Os cenários econômicos pós-eleições”.

 

Edgar falou para uma plateia de cerca de 200 empresários e fez uma explanação voltada para a macroeconomia do país. “Os desafios são grandes, a herança que temos é horrível. Derrubar a economia é fácil, mas recuperá-la requer tempo”, disse ele.

 

O economista ressaltou que 2018 foi um ano bastante difícil e que os próximos também serão, embora já haja uma expectativa de crescimento. “Os empresários engavetaram seus projetos, esperando para verem o que aconteceria. À medida em que as coisas começaram a ficar mais claras, o país chegou até a atrair o olhar do investidor internacional. Mas os empresários têm condições de tocar seus negócios independentemente de Governo”, aconselhou.

 

Com relação à Previdência, o economista foi enfático: “o país não aguenta mais essa situação”. Isso porque, de acordo com Edgar, o cenário é pouco animador e requer mudança urgente. “É preciso equilibrar essa conta, pelo menos. Pois com um déficit tão alto, a economia fica prejudicada”, atestou.

 

Mas ele está otimista com relação ao futuro do país. “A cabeça do Paulo Guedes (futuro ministro da Economia) é liberal. E ele e o futuro presidente, Jair Bolsonaro, estão alinhados, embora a diretriz econômica seja uma e a política, outra”, ressaltou Edgar.

 

ALMOÇO EM NEGÓCIOS

O tom do presidente da Acese, Marco Aurélio Pinheiro, também foi o de esperança no novo Governo. “Vivemos uma época em que ser empresário parece errado, quase um pecado. E não é assim. Espero que esse novo momento mostre isso. São muitos desafios à frente, mas continuarei como um soldado na trincheira”, destacou Marco Pinheiro.

 

Para ele, toda a sociedade saiu vitoriosa das eleições e tem muito o que comemorar. “Temos muito a fazer para mudar o cenário econômico em que nos encontramos, mas demos um passo importante este ano. Ter posição foi crucial para a Acese”, afirmou.

 

O presidente aproveitou o último Almoço com Negócios para agradecer aos parceiros e, claro, aos associados. “Nosso objetivo é criar um ambiente de negócios cada vez melhor. E o Almoço com Negócios é um dos fomentadores disso. Aqui, temos um público privilegiado, que busca conhecimento e faz investimento”, ressaltou.

 

Marco Pinheiro assegurou a realização do evento em 2019 e defendeu cada vez mais a união dos empresários em prol de uma economia mais forte e pujante, o que confluiu com a ideia do próprio palestrante de que “caberá ao setor privado tocar o país”.

 

PRESENÇAS

O Almoço com Negócios contou com a participação de associados e dirigentes classistas, como Breno Barreto, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju, Hugo França, vice-presidente da Federação do Comércio do Estado, e Paulo do Eirado, diretor Regional do Senac; além de representantes da classe empresarial e política, como o deputado reeleito Georgeo Passos e o presidente do Banese, Fernando Mota.

Publicado em 21/11/2018



Comente via Facebook